Slideshow
Quinta-feira, 17 de Janeiro de 2008
Conclusões

Idades dos inquiridos: "15-19" - 32%, "20-25" - 45%, "26-29" - 0%, "30-35"-13%, "36-44" - 0% e "45-50" - 10%

Género dos inquiridos: 71% Masculino, 29% Feminino

 

 
          Neste primeiro questionário, realizado durante o primeiro período, tentámos recolher uma amostra abrangente de modo a desenvolver o nosso projecto. Quisemos saber aquilo a que dão mais importância na cidade, de forma a direccionarmos o nosso trabalho para o melhoramento dessas áreas.
          Os resultados são conclusivos permitindo-nos, assim, valorizar os aspectos ambiental e cultural de Vila Nova de Gaia. 

 
          Sendo o nosso blog apologista da defesa e protecção do ambiente, não poderíamos deixar de apurar se os Gaienses são ou não, no seu dia-a-dia, protectores do mesmo.
          Constatámos que há já um menor número de pessoas a optar pelo carro individual e um aumento significativo no uso dos transportes públicos e deslocação pedestre.
          Vamos tentar no futuro criar projectos que não só beneficiem o ambiente, como também permitam diminuir a percentagem de cidadãos que se desloca de carro diariamente.

        

          Constatámos que 22% dos nossos inquiridos andam a pé e quisemos apurar o porquê do número não ser mais elevado.
          Na realidade, muitos são os problemas com que os peões se deparam diariamente nos seus trajectos pela cidade. Entre todos os referidos, o que mais se destacou foram os carros mal estacionados nos passeios, ponto de passagem para os peões. Tal deve-se ao facto de Gaia ter poucos parques de estacionamento e os condutores não terem outras alternativas por que optar.
          Também de referir, são os passeios sempre sujos com dejectos de cães e lixo no chão, consequência da falta de civismo que se faz sentir sempre um pouco em qualquer cidade.

          A maioria das pessoas não concorda com a formação da ‘cidade única’; união de Gaia ao Porto. A principal razão deve-se ao facto de Gaia ser uma cidade nova, em expansão e ainda com subúrbios por explorar e para onde pode crescer. Já o Porto é uma cidade antiga, com uma vasta história e que está estagnada, não pode crescer mais - a não ser para cima. Assim, é do consenso geral que não seria uma união de cidades, não seria unir Gaia ao Porto, seria sim o Porto a expandir-se para Gaia removendo importância a esta última.
          Os  que concordam com esta ideia pensam que seria benéfico pois as duas cidades complementam-se, uma exerce mais a função comercial e a outra a residencial.
          Iremos tentar apurar mais este assunto ao longo do 2º período.


Publicado Por ccesag às 08:25
| Comentar | Adicionar aos Favoritos

2 comentários:
De Anónimo a 19 de Janeiro de 2008 às 20:53
Penso que é um descaramento fazer plágio de publicações presentes noutros blogues.
O concurso, ao atribuir os primeiros lugares, deu uma ideia sobre a forma como se deveriam direccionar os restantes trabalhos. Porém, aquilo que eles pretendem é que sejam CRIATIVOS, não plagiadores, como o foram.


De ccesag a 21 de Janeiro de 2008 às 12:11
O objectivo do projecto Cidades Criativas para o 1º. Período era reflectir sobre o estado da cidade, suas vantagens e desvantagens em contraste com outras e aspectos a melhorar. Considerámos que intercederíamos de melhor forma se fossemos buscar este tipo de informação à fonte, isto é, aos habitantes de Vila Nova de Gaia, nunca tendo como propósito plagiar outros blogues participantes. Lamentamos sinceramente que sejamos interpretadas de tal modo.
Para finalizar, queríamos veemente agradecer o facto de ter assinado o comentário, acto que consideramos de tamanha coragem e credibilidade.

CCESAG


Comentar post

Mais sobre nós
Maio 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
16
17

18
20
21
22
23
24

25
26
28
31


Posts Recentes

Feira Medieval

Douro Blues

Fomos notícia no jornal "...

WIPPY

O dia da concretização do...

Já foi!

Os Patrocinadores

A concretização do projec...

A última semana de trabal...

Agenda Cultural de Maio

Links
Pesquisar